36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro

36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro 36º Enafit – Comissão Organizadora define data e local onde serão desenvolvidos os trabalhos do Encontro
Clique na imagem para ver todas as fotos

Por Andrea Bochi

Edição: Nilza Murari

O Centro de Eventos Pantanal, em Cuiabá, sediará pela segunda vez o Encontro Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho – Enafit, agora, em sua 36ª Edição.  A Comissão Organizadora do Encontro reunida em Cuiabá nos dias 15 e 16 de março, definiu ainda o período de realização do evento, que será de 18 a 23 de novembro, o tema que norteará os debates e o local da abertura do evento, o Buffet Leila Malouf.

Partindo do tema escolhido “Auditor-Fiscal do Trabalho – Autoridade Trabalhista a serviço da sociedade”, que permeará as reflexões e debates do 36º Enafit, a Comissão Organizadora se debruçará em busca de delinear os assuntos mais importantes para serem discutidos nos painéis do evento.

O presidente do 36º Enafit, Valdiney Arruda, apresentou à Comissão uma versão sistematizada para formatar o evento e orientar as comissões organizadoras dos próximos Encontros. Trata-se de padronizar o processo de organização do evento, que sempre demanda muita dedicação da parte dos organizadores, considerando o porte do Enafit.

Também já foram definidos os valores das inscrições, que serão divulgados em breve, no hot site do evento.

A próxima reunião da Comissão Organizadora, em Cuiabá, será nos dias 12 e 13 de abril.

Participaram da reunião, além do presidente do Encontro, os membros da Comissão Organizadora: o presidente do Sinait, Carlos Silva, a vice-presidente Rosa Jorge, e os Diretores Rosangela Rassy, Virna Damasceno, Orlando Vila Nova, Francisco Luís Lima, Sebastião Estevam,  e os Diretores da Delegacia Sindical do Sinait no MT, Marilete Mulinari e Sílvio Sidney Teixeira.

Reunião com chefias

Uma vez em Cuiabá, os dirigentes do Sinait reuniram-se com o superintendente de Mato Grosso, o Auditor-Fiscal do Trabalho Amarildo Borges de Oliveira, e outros Auditores que ocupam cargos de chefia na Superintendência Regional do Trabalho de Mato Grosso – SRT/MT, para apresentar a dinâmica do trabalho de organização do Enafit e pedir o apoio para o desenvolvimento do Encontro.

Carlos disse que a Comissão Organizadora conta com as sugestões, apoio e participação de todos e, além disso, com o empenho para levar os Auditores-Fiscais do Trabalho do Estado para o Enafit. “A atuação conjunta é muito importante para fazermos um grande evento”, reiterou.

A vice-presidente do Sinait, Rosa Jorge, explicou que é um dos poucos eventos custeados pelos membros da própria categoria. Lembrou da construção das lutas históricas da categoria, que foram iniciadas com a reunião dos Auditores-Fiscais do Trabalho nos Enafits. “Resultados e decisões tiradas da plenária do Enafit foram levadas aos governantes e municiaram o Sinait para sua atuação em defesa da carreira. É uma oportunidade única e especial de reunirmos grande parte da categoria”, frisou.

Os membros da Comissão Organizadora deram seus depoimentos e relataram a experiência na participação sindical e principalmente na organização de vários Encontros, momento que propicia debates e reflexões sobre a categoria. A organização de estratégias com o apoio de todos os Auditores-Fiscais foi destacada como muito importante para o desenvolvimento da categoria e que uma das oportunidades para discussões e sugestões é na participação efetiva no Enafit.

“A responsabilidade da categoria está multiplicada, é um momento de reafirmação da carreira, diante de tantos desafios e dificuldades, que estão sendo impostas atualmente”, lembrou Carlos Silva.

Para o superintendente Amarildo, o papel do Sindicato é essencial. “Não podemos permitir que ele seja desqualificado. Se considerarmos todas as conquistas da categoria, perceberemos que foram resultado da luta do Sindicato”. E acrescentou que o Enafit é um momento muito importante para a categoria e o evento dá visibilidade à Inspeção do Trabalho. Ele espera que o 36º Enafit seja um sucesso e comprometeu-se em empreender os esforços possíveis e necessários para isso.

O chefe do SEINT/MT, Eduardo de Souza Maria, falou sobre sua experiência nos últimos anos à frente do cargo que ocupa. “Posso mudar o que está ao meu alcance e darei o apoio necessário para a realização do Encontro”, afirmou.

Luiza Carvalho Facchin coordena a aprendizagem na SRT/MT e o 36º Enafit será, segundo ela, sua estreia nos Encontros da categoria. “É um prazer participar do meu primeiro Enafit justamente no Estado que me acolheu e estou à disposição para ajudar”.

Daniel Cavalcanti Magalhães, que ocupa o cargo de chefe da SEFIT/MT, reconheceu o trabalho importante e decisivo do Sinait para as conquistas da categoria. Revelou que a atual equipe da SRT/MT alcançou o reconhecimento externo por sua atuação, apesar de desenvolverem um trabalho que exige maior desdobramento em razão do número reduzido de Auditores-Fiscais. Ele também disse que irá contribuir para a realização do Encontro.

Valdiney Arruda expôs aos colegas alguns detalhes e propostas para o Encontro que acontecerá em novembro, em Cuiabá. “Para o Enafit de Cuiabá pretendemos estabelecer três eixos de formatação do evento: Um, de voz com a sociedade, levando a Auditoria-Fiscal do Trabalho ao conhecimento da sociedade; outro eixo seria aprimorar mecanismos que contemplem a integração entre Auditores-Fiscais do Trabalho e a participação nas principais causas políticas da categoria; e o terceiro, de capacitação técnica, com a realização de cursos técnicos ainda não contemplados pela SIT”.